Artistas do Bairro | Arth3mis


A Biblioteca Comunitária Livro Livre Curió, com quase quatro anos de existência, conseguiu propor para nossa comunidade um outro modo de olhar para nós mesmas. Uma biblioteca não é necessariamente um espaço para guardar livros, livros são apenas um dos vários formatos para organizar informações, linguagens, descobertas, sonhos e desejos. Fazemos questão de juntar e espalhar as histórias e as inteligências do nosso bairro.


Pensando nisso, a partir de hoje, vamos compartilhar com vocês, nossas leitoras e leitores, que acompanham, às vezes de longe, às vezes de perto, todas as coisas que gostamos de tramar e comunicar em nosso site e em nossas redes sociais, algumas das moradoras e moradores de nosso bairro.


Esperamos que vocês conheçam essa galera, nossas vizinhas, que a gente acredita tanto, que tem feito tanta diferença para nosso bairro, viva a nóiz, viva nossos Curiós.



Arth3mis (Vitória Helen)


Sou uma mulher preta, periférica e bissexual, assino meus trabalhos como “arth3mis”. Atualmente, graduanda do 4º semestre de Licenciatura em Artes Visuais pelo IFCE, integro o Coletivo Cabeça desde 2018 e colaboro com a Biblioteca Comunitária Livro Livre Curió. Tenho como áreas de pesquisa: teatro, arte urbana com lambes, pintura em aquarela e guache, fotografia e audiovisual, além de um forte interesse pela produção cultural.

Fui ganhadora do prêmio da exposição coletiva Mostra Poética das Águas (parceria da Escola Porto Iracema das Artes com a CAGECE) com a vídeo performance "é quando a lama vira sal"; participei da exposição coletiva no Sobrado Dr. José Lourenço, intitulada Nomes, com a instalação interativa em lambe lambes intitulada "corpo cansado/lugar de sangrar", ambos os trabalhos em 2019. Gravei as vídeo performances, "Lavagem" e "Bocas" de concepção por Nathália Fiúza, este último aprovado no I Edital Cultura Dendicasa: Festival Arte de Casa para o Mundo e Arte como Respiro: Múltiplos Editais de Emergência | Artes Cênicas. Ilustrei algumas personalidades negras na 1° e 2° edição do projeto "Visadxs - Visibilidade Literatura e Memória, aprovado no IX Ação Jovem - Contra o Racismo do Instituto Cuca e no edital Arte em Rede, na última edição também realizei a curadoria do projeto, que foi veiculado através das redes sociais do Cine Teatro São Luíz; os trabalhos citados anteriormente foram realizados no ano de 2020. Participei da seleção oficial na categoria série fotográfica, com a obra "A face do Afeto", no 19° NOIA - Mostra de Audiovisual Universitário, 2020. Desenvolvi junto ao coletivo do qual faço parte o projeto "Trilogia em Transe", composto por 3 vídeo performances e contemplado no Inciso III - Fomento a Grupos e/ou Coletivos Culturais da Lei Aldir Blanc, Secultfor. Meu último trabalho, intitulado "Projeto [sem nome] em parceria com o fotógrafo e documentarista Leo Silva, trata-se de uma pesquisa visual que mescla fotografia e lambe lambe, desenvolvido em duas fases em editais diferentes, no X Ação Jovem do Instituto Cuca e no edital Cidadania Cultura e Diversidade - Lei Aldir Blanc pela Secult/CE, e também compôs a exposição Lambe-Lume, realizada pelo Festival Efêmero 2021.

Na área do teatro, atuei no espetáculo “A voz da minha pele” em 2019, com direção de Lídia dos Anjos e participei do curso “Processos Criativos em Cenografia”, pelo Ateliê de Criação em Teatro do projeto “Arte Urgente: a Cultura como Farol do Ceará, 2021.



Arth3mis falando um pouco sobre a sua trajetória como artista.